Você não pode se esquecer de Betel

 
 
Não podemos jamais deixar apagar de nossa memória a comunhão que desfrutamos com Deus e o momento no qual Deus escutou as nossas orações. Lembra daquele instante em que você se encontrava angustiado, então orou ao Senhor e Ele concedeu o que você precisava? O momento no qual Deus mudou a sua vida e estabeleceu um concerto contigo? Lembra? Todos nós tivemos um encontro especial com o Senhor e temos sido alvo de Suas bênçãos. Deus tem nos feito crescer e protegido, mas, apesar disso, temos às vezes nos esquecido de Sua benignidade. Mas, o Espírito Santo alerta-nos que devemos voltar a termos aquela comunhão de outrora, isto é, temos que voltar para Betel (Gn 28.10-22), em busca do Deus que nos ouviu no dia de nossa aflição.
 
Você esqueceu da sua Betel? Lembra daquele lugar onde um dia você clamou ao Senhor e, após o clamor, você levantou-se e percebeu que o chão estava molhado com as suas lágrimas. O Espírito do Senhor te diz hoje: “Volta para Betel”. O mesmo lugar onde Deus o ouviu agora será palco de seus agradecimentos, adoração e glorificação ao Seu santo nome.
 
Houve um momento no qual Deus o ouviu e garantiu a vitória sobre as aflições, mas, desta vez, a sua ida a Betel terá motivos bem diferentes. As tuas orações vão subir e você poderá ser batizado no Espírito Santo ou receber a cura de tuas enfermidades. Vamos, levante-se, é hora de retornar para Betel!
 
“E levantemo-nos, e subamos a Betel; e ali farei um altar ao Deus que me respondeu no dia da minha angústia, e que foi comigo no caminho que tenho andado” (Gn 35.3). São muitas as vezes que esquecemo-nos de Betel, onde o Eterno não somente escutou as nossas orações, mas atendeu ao clamor movido pela angústia. O que pode representar esse local? Recorde-se: Pode ser aquele quarto ou aquele canto de parede onde você chorou desesperadamente diante do Senhor. Aquele lugar onde as suas lágrimas foram vertidas. O Espírito Santo ordena que você volte para edificar um novo altar ao Deus que te respondeu no dia de tua angústia. Vá para Betel e leve contigo tudo o que você angariou dos tempos nos quais você peregrinou. Leve para Betel e erga um novo altar ao Senhor na sua vida.
 
Eu também tive o meu Betel. O meu filho José Wellington Neto foi acometido de câncer. Quando eu soube de seu quadro clínico, o meu coração sangrou, mesmo assim eu fiz a vontade de meu Deus. Certo dia, preguei a Sua Palavra em um encontro de jovens. Eu posso dizer que este culto serviu de Betel em minha vida. Eu supliquei por misericórdia ao Senhor e Ele respondeu-me favoravelmente. Naquela noite, o Senhor disse para meu filho: “Eu estou purificando o teu sangue e estou fazendo uma obra em tua vida”. Eu voltei para casa confortado pelo Espírito Santo. Hoje, eu retorno para Betel porque o Senhor ouviu as nossas orações. Meu filho foi curado. Volto para adorá-lO após ouvir a minha oração no dia de minha angústia.